• Londrina: (43) 3325-1291
  • Curitiba: (41) 3013-6291
  • Telêmaco Borba: (42) 3272-6255
  • Apucarana: (43) 3122-1010
  • Maringá: (44) 3029-6283
  • Tamarana: (43) 3398-1143
  • WhatsApp: (43) 99830-2514

Discussões da reforma previdenciária

As novas propostas podem mudar regras para idade mínima, tempo de contribuição, igualdade de tempo para homens e mulheres e até definição para transexuais

Diante do crescimento na expectativa de vida da população brasileira, o sistema previdenciário torna-se um assunto preocupante. As quantias e valores públicos utilizados para atender o número de aposentados acaba interferindo na economia do país. Segundo informações do Jornal Zero Hora, de 2014 para 2015, o número de desembolso subiu 10%, enquanto o de contribuições apenas 3%.

reforma previdenciária

Com este desequilíbrio, o governo de Michel Temer, assim que tomou posse, anunciou que existe a possibilidade de uma nova reforma previdenciária que adeque da melhor maneira possível as regras para aposentados e garanta que os direitos dos trabalhadores não sejam feridos.
Caso a reforma venha a acontecer, alguns pontos são considerados importantes para discussão. Entre eles está a adoção de uma idade mínima para aposentadoria, fim da aposentadoria por tempo de contribuição, igualdade no tempo de serviço em relação à idade de homens e mulheres e, ainda, a definição de uma regra para transexuais.

As novas propostas podem trazer certo ajuste na atual regra 85/95 de maneira a estabelecer a mudança da idade mínima. Já o fim da aposentadoria baseada apenas no tempo de contribuição pode ser extinto por permitir que pessoas se aposentem muito cedo, não sendo sustentável para o sistema que precisa manter aposentados por períodos longos, como por exemplo até mais de 30 anos, em casos de pessoas que se aposentam com menos de 50 e vivem até os 80.

A discussão a respeito da igualdade no tempo de serviço em relação à idade de homens e mulheres se dá pelo fato de que as mulheres se aposentam antes e vivem mais que os homens, ou seja, dão uma contribuição menor, mas acabam recebendo por mais tempo. Além, também, da definição de uma regra para transexuais, de maneira a definir como será dada a aposentadoria de um transexual.

As centrais sindicais não apoiam muitas das novas propostas, porém, o governo pretende promover novos debates e novas discussões que tornem a reforma negociável para todos os lados.

Com informações de: http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2016/05/proposta-de-reforma-da-previdencia-tem-desafio-de-equilibrar-caixa-com-expectativas-de-aposentadoria-5811742.html

Compartilhe

Inscreva-se na nossa newsletter!

Artigos relacionados

All articles loaded
No more articles to load