• Londrina: (43) 3325-1291
  • Curitiba: (41) 3013-6291
  • Telêmaco Borba: (42) 3272-6255
  • Apucarana: (43) 3122-1010
  • Maringá: (44) 3029-6283
  • Tamarana: (43) 3398-1143
  • WhatsApp: (43) 99830-2514

Conheça os tipos de previdência privada e saiba os seus benefícios

tipos de previdência privada

Trabalhar a vida inteira para no futuro descobrir que a renda da aposentadoria não é suficiente para cobrir todos os gastos da velhice é uma situação enfrentada por muitos brasileiros. É comum vermos pessoas trabalhando mesmo depois de aposentar, esperando conseguir uma condição de vida melhor para, só a partir daí, diminuir o ritmo e aproveitar a idade.

É prevendo essa situação e procurando fazer um planejamento previdenciário para não cair nela que muita gente busca outra fonte de renda fixa e segura para o futuro. A aposentadoria privada é uma delas.

Os principais tipos de previdência privada podem ser pagos por qualquer pessoa e em qualquer momento da vida, contudo, esse é um investimento que poucos conhecem e que, por isso, é cercado por muitas dúvidas.

Se você quer se planejar para ter uma velhice tranquila e segura financeiramente, saiba mais sobre previdência privada, suas restrições e benefícios, acompanhando o texto abaixo.

O que é previdência privada?

Primeiro, é preciso deixar claro que a previdência privada não é a mesma coisa que a previdência pública do regime geral de previdência social (RGPS), que concede benefícios por meio do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Todo trabalhador que está na ativa é obrigado a contribuir para o INSS com um valor predeterminado, pagando contribuições a vida inteira. Além disso, seu regime é disposto em lei.

Ao passo que a previdência privada nada mais é que uma forma de investimento e, por isso, é facultativa, não sendo obrigatória a sua aquisição. Um dos seus benefícios é poder contribuir com um valor da sua escolha, a depender do plano.

Os dois tipos de previdência privada são o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL). Ambos são fiscalizados por uma autarquia vinculada ao ministério da fazenda, chamada Susep.

Adquirir um plano de previdência privada é um meio seguro de aplicar dinheiro para aumentar a renda da aposentaria concedida pelo INSS. Uma das maiores facilidades desse investimento é poder sair do plano e resgatar o dinheiro a qualquer momento, sem precisar cumprir burocracias e exigências.

Qual a diferença entre os tipos de previdência privada?

Como vimos, há duas principais modalidades. Ambas funcionam com o regime de capitalização, em que o investidor faz contribuições periódicas ao plano de previdência que adquiriu e esse capital é empregado em um fundo de investimento, para que possa render. As principais diferenças entre os tipos de previdência privada estão na forma de tributação.

No PGBL, quando a soma das quantias mensais pagas ao plano de previdência não chegarem a uma renda bruta anual superior a 12%, esses valores poderão ser descontados no imposto de renda. Apenas no momento do resgate do investimento é que ocorrerá a tributação, pois incidirá o imposto de renda sobre a quantia total acumulada.

Já no VGBL, os valores depositados para plano de previdência privada não poderão ser descontados no imposto de renda. Com isso, no momento de retirar a quantia acumulada, o imposto de renda não incidirá no valor total, mas apenas sobre o rendimento gerado pelas contribuições realizadas mês a mês.

Como faço para entrar em uma previdência privada?

Atualmente, encontramos bancos e seguradoras trabalhando com a venda desse produto. Normalmente, essas empresas têm as mesmas taxas administrativas, contudo, as seguradoras costumam ser mais ativas na busca de aplicações, fazendo com que o dinheiro dê um retorno maior. Tudo isso é feito a partir de uma previsão de risco, com aplicações em rendas fixas e ações, com profissionais especializados.

Algumas taxas são cobradas por essas empresas: a taxa de administração é paga todo mês e pode recair sobre o capital total do fundo. Ela tem o intuito de retribuir o serviço realizado pela empresa contratada. A taxa de carregamento cobre os custos operacionais, e é cobrada em cada aplicação realizada. Por último, podemos citar a taxa de saída, essa só é cobrada quando o investidor pretende fazer o resgate do investimento antes do prazo acordado no plano, que costuma ser de, no mínimo, 2 ou 5 anos.

Quais são os benefícios da previdência privada?

Para quem quer fazer um investimento seguro e a longo prazo, a previdência privada é ideal. Podemos destacar alguns dos seus principais benefícios:

  • portabilidade: poderá acompanhar o seu investimento, e caso esteja descontente com o capital gerado, será possível alterar o seu plano;
  • tributação: terá o poder de escolha na forma da tributação do seu capital, já que há duas formas de incidência do imposto de renda;
  • livre de tetos: ao contrário do que ocorre no INSS, não há na previdência privada um limite máximo de salário a ser concedido, tudo dependerá do plano a ser adquirido;
  • não precisa comprovar renda;
  • segurança: não precisa se preocupar com as reformas legislativas;
  • não há come-cotas: nas principais aplicações existentes, a receita federal levanta de forma antecipada o imposto de renda do investimento. Na previdência privada isso não ocorre;
  • sucessão patrimonial: é possível dar segurança aos dependentes sem as restrições do INSS. No caso de morte do titular do investimento na previdência privada, o total acumulado será transferido aos seus beneficiários, automaticamente, até mesmo sem inventário;
  • poupança forçada: é um meio de guardar dinheiro, pois as contribuições periódicas que devem ser pagas forçam o investidor a guardar dinheiro.

Muitas pessoas sabem que deixar dinheiro parado nunca foi um bom negócio e nunca será. Mesmo quem não tem muito, mas quer poupar, procura conhecer sobre as formas de aplicar o dinheiro para gerar renda. Acontece que a falta de informação sobre esses negócios e os termos técnicos que envolvem “esse mundo” pode ocasionar confusão, desencorajamento e até mesmo um investimento mal sucedido.

Dessa forma, antes de adquirir qualquer um dos tipos de previdência privada ou outro investimento, é de grande importância pesquisar bastante e procurar profissionais habilitados e experientes para instruí-lo melhor. Busque informações e dados confiáveis, prepare-se para a sua aposentadoria e, assim, seu dinheiro estará seguro e gerando renda para você.

Se gostou das nossas dicas sobre previdência privada, baixe o ebook e conheça o guia definitivo da aposentadoria.

Compartilhe

Inscreva-se na nossa newsletter!

Artigos relacionados

All articles loaded
No more articles to load