auxílio inclusão

Auxílio-inclusão: o que é e quais os requisitos para receber?

Diante de um cenário no qual nem todos os brasileiros têm acesso a uma vida social digna, a Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS) nasceu justamente para tentar reduzir a desigualdade no país. Com ela, surgiu o benefício de Prestação Continuada (BPC). A partir dessa iniciativa, o Governo Federal estabeleceu o auxílio-inclusão, como uma medida para incentivar o ingresso ao mercado de trabalho dos beneficiários do BPC.

Preparamos este conteúdo para você entender o que é o auxílio-inclusão, quem tem direito ao benefício, quais seus requisitos, entre outras questões pertinentes ao assunto. Continue a leitura do artigo para conferir!

O que é o Benefício de Prestação Continuada?

De forma simplificada, trata-se de um benefício financeiro mensal que equivale a um salário mínimo, ao qual têm direito idosos a partir de 65 anos (desde que possam comprovar a necessidade do recebimento) e pessoas de baixa renda com deficiência, sem idade mínima estabelecida. Concedido pelo INSS, o valor do benefício de Prestação Continuada (BPC) deve ser equivalente a um salário mínimo. Isto é, R$1.110, em 2021. O valor jamais deverá ser inferior a um mínimo nacional.

O que é auxílio-inclusão?

Os cidadãos que já estão inscritos no BPC, da LOAS, têm direito a um novo benefício, conhecido como auxílio-inclusão, sancionado como Lei nº 14.176. O objetivo é proporcionar a oportunidade para que os beneficiários tenham um incentivo para ingressar no mercado de trabalho.

Qual é o valor do auxílio-inclusão?

O beneficiário do BPC que ingressar no mercado de trabalho terá direito a 50% de um salário mínimo, ou seja, R$550, em 2021, de modo que não perde seu Benefício de Prestação Continuada.

Quais os requisitos para receber o auxílio-inclusão?

Resumidamente, conforme estabelece a Lei nº 8.742/93, para ter direito ao auxílio-inclusão é preciso atender aos seguintes requisitos:

  • ter nacionalidade brasileira;
  • ter uma inscrição regular no CPF;
  • estar inscrito no BPC;
  • ter inscrição atualizada no CadÚnico;
  • ser maior de 65 anos e de baixa renda comprovada;
  • ter uma deficiência motorial, intelectual, física ou mental, independentemente da idade, contanto que a limitação impeça o indivíduo de gozar de uma vida social plena;
  • ter renda familiar de até 1/4 do salário mínimo por pessoa;
  • não receber outro benefício;
  • fazer uma avaliação por um assistente do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) que comprove a deficiência;

É importante destacar que, caso o beneficiário do auxílio-inclusão (que esteja ingressado no mercado de trabalho) venha a ser demitido do emprego, automaticamente o mesmo voltará a receber o Benefício de Prestação Continuada.

Como você pôde contemplar neste conteúdo, o auxílio-inclusão é um benefício que pode ser concedido sem que o indivíduo tenha contribuído com a Previdência Social. No entanto, ele é destinado a apenas um grupo seleto de cidadãos em real situação de necessidade, devido às dificuldades para integrar a sociedade plenamente. Solicitá-lo com a ajuda de um escritório de advocacia pode facilitar o processo.

Precisa de ajuda para solicitar o auxílio-inclusão? Então, entre em contato com o escritório de Advocacia Marly Fagundes & Associados, para receber todo o suporte necessário de profissionais altamente competentes!

Compartilhe

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.